Destaque

INVERSÃO DE VALORES? POLICIAL ARMADO É ANORMAL?


Alguns sites publicaram matéria de que o deputado Eduardo Bolsonaro, que é Policial Federal, estaria armado durante manifestação pública. No caso do Correio Brasiliense não houve qualquer comentário pejorativo que viesse a denegrir a imagem do policial Contudo, o fato de um policial, desempenhando qualquer que seja o tipo de atividade, ao ser flagrado armado vir a ser matéria de jornal, demostra que vivemos num país onde há um inversão total de valores. Aliás, há algo pior nisso tudo, o da banalização da segurança pública, onde o policial, mesmo que a paisana, não é mais visto como uma autoridade que representa a lei e o Estado.

Veja a matéria do CB na íntegra.

Deputado eleito Eduardo Bolsonaro aparece armado em manifestação

O parlamentar, que é escrivão da Polícia Federal, defendeu-se e disse que tem porte de arma

Uma foto em que o deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro(PSC-SP) aparece em um palanque com arma na cintura ganhou as redes sociais nesse fim de semana. O registro foi feito no último sábado (1/11) durante uma manifestação em São Paulo. O ato, que reuniu 2,5 mil pessoas, pedia a impeachment da presidente reeleita Dilma Rousseff.

No Twitter, o parlamentar eleito defendeu-se e disse ter permissão para andar armado. “Sou policial federal e tenho porte de arma”, publicou. Segundo a assessoria de Jair Bolsonaro (PP-RJ), pai de Eduardo, o político é escrivão da PF e  costuma andar com a arma em eventos.

O cantor Lobão também participou da manifestação. Ele pediu a recontagem dos votos das eleições presidenciais e negou que a iniciativa seja um novo golpe militar no Brasil.

Bolsonaro armado 4

 

 

Em outro site só aparecem as fotos com a descrição:

 

Bolsonaro armado

 

Fonte: Correio Braziliense / ninja.oximity.com

 

COMENTO

Em que país estamos vivendo,onde um policial não pode ser flagrado com sua arma a mostra, mesmo que sem intenção de mostrá-la, como se sua postura de andar armado fosse o cúmulo do absurdo?

É elementar que vivemos num país que coloca a arma no pedestal e com uma campanha de trágicas consequências para a segurança do cidadão, colocou a arma como culpada das mazelas da segurança pública, como se o utilizador dessa ferramenta não fosse o verdadeiro foco da culpa.

Porque não usamos a mesma lógica para os crimes de trânsito? Vamos então proibir os carros de serem “portados”.

Quem sabe se proibir pizza, refrigerante e algumas guloseimas será eficaz para diminuir os casos de obesidade.

Aliás, vamos proibir o homem de procriar, só assim teremos o grande causador de tantos males, 0 próprio homem, de causar tantos problemas para a natureza, o planeta e seus viventes.

 

Obs.: O Portal Somos Heróis não coloca em dúvida ou corrobora para uma mídia alienada. A discordância não é pela informação, que é sempre bem-vinda, mas pela cultura que aos poucos está sendo criada de que os órgãos de segurança e seus profissionais são parte de um grupo falido e fracassado.

O policial e o bombeiro são agentes para segurança nacional 24 horas, e portanto, mesmo sem fardamento ou algum brasão de identificação, lhe são conferidos direitos e deveres relativos as suas profissões.

A discrição é uma característica dos policiais em folga. Mas um fato tão insignificante, e por um descuido mostrar uma arma na cintura, que inclusive só foi visto porque o policial estava em cima de um carro de som enquanto o fotógrafo estava vendo por baixo da camisa, configura muito mais uma fobia por armas, um espanto desnecessário ou em último caso, o que não queremos acreditar, um intento em desqualificar a polícia ou o policial.

Esperamos que a cada dia a população, a mídia e os governos vejam o policial com mais respeito e até com admiração, como acontece em outros países, onde a premissa não é de que o policial está errado até que se prove o contrário, mas de que suas ações estão sempre baseadas na responsabilidade de seu ofício, e que casos espúrios são exceções.

Print Friendly