Política

POLÍTICOS DO DF SE MOBILIZAM EM TORNO DA CRISE DA SEGURANÇA PÚBLICA


NESSE ANO ELEITORAL TÁ CHEIO DE RAPOSA SE ESCONDENDO EM CASCO DE TARTARUGA

Demorou mas enfim começam a aparecer os “salvadores da pátria”. deputados distritais e federais, senadores, candidatos á governador, enfim, uma turma influente na política local, mas que ao longo desses três anos permaneceram em silêncio e distantes da situação.

É bem verdade que alguns deles como os deputados Izalci, Celina Leão e o senador Cristovam estiveram por várias vezes em cima dos palanques das reuniões e assembleias realizadas pelos bombeiros e policiais militares, mas alguma medida que mudasse o quadro dessa crise histórica da segurança pública candanga realmente não houve. São dois os motivos pelo qual estes personagens citados não tiveram êxito nas ações que se propuseram baseadas em seus discursos, ou estes discursos foram apenas eleitoreiros ou o governador Agnelo é realmente intransigente, ou pior, as duas coisas.

O problema a que se chegou é tão sério e tão desgastante para ambas as partes, que ninguém quer saber quem realmente será o “pai da criança”, ou seja, o salvador da pátria que acabará de vez com essa crise e trará novos caminhos para os militares. O que se quer de fato é que as mudanças possam ser estruturais e produzam efeitos reais e justos nos vencimentos de ativos e inativos das duas corporações.

Com toda esse circo montado, os deputados ligados à segurança pública estão bem diversificados em suas declarações ou a falta delas. A lógica é que todos em bom tom desferissem palavras de ordem com discursos acalorados em defesa dos policiais e bombeiros, ainda mais em ano eleitoral. Mas em resumo, a semana tem sido assim:

O deputado Patrício, eleito pelas categorias aproveitou a tribuna da CLDF para dizer que a restruturação da carreira está pronta e só depende do governador sua aprovação. Chegou tarde pra quem teve quase 4 anos pra fazer isso.

Pior foi deputado Aylton Gomes que não sai de sua caverna há muito tempo e pouco se sabe o que ele acha sobre tudo isso. Vale lembrar que Aylton, sargento do Corpo de Bombeiros do DF, também foi eleito pela categoria. Seu silêncio tem incomodado muitos bombeiros que lhe elegeram.

Tem até quem já se utilize de jargão de brabo pra fazer lobby em sua auto-proposta de ser o novo secretário de segurança. Estamos falando do “Xerifão”! Isso mesmo! É este termo que está no site do deputado Dr. Michel. Não há no site nenhuma declaração dele mesmo sobre algum plano pessoal de assumir a cadeira de secretário, mas é curioso que essa insinuação esteja no seu site oficial com o título “Xerifão é a solução”. (http://drmichel.com.br/?p=1835)

Os deputados Wellington Luiz e Alírio Neto, ambos da PCDF, não deram qualquer declaração de repercussão sobre a matéria.

Bem, daí dá pra entender um pouco porque a segurança pública do DF vai de mal a pior. Nem mesmo os políticos que representam esta área específica estão dando tanta ênfase á esta crise.

 

REUNIÃO COM A BANCADA DO DF

Audiência entre congressistas do DF e Sandro Avelar (Iano Andrade/CB)A bancada do Distrito Federal no Congresso Nacional deve pedir uma audiência com o governador Agnelo Queiroz (PT) em busca de uma solução para a segurança pública no DF. Na tarde desta terça-feira (4), deputados e senadores se reuniram com a cúpula da Secretaria de Segurança Pública para tratar do assunto. Apenas o comandante da Polícia Militar, coronel Anderson Moura, não compareceu à audiência e também não se justificou.

Foram mais de quatro horas de debate sobre a insegurança e o grande número de crimes registrados nos últimos dias no DF. A ideia, segundos os representantes do DF, é tentar buscar ajuda com o Governo Federal e conseguir recursos para atender as exigências dos policiais e acabar de uma vez por todas com os protestos da categoria.

O secretario de Segurança Pública, Sandro Avelar, e o diretor-geral da Polícia Civil, Jorge Xavier, foram chamados para prestar esclarecimentos.

Ainda durante a sessão, que ocorreu na tarde desta terça-feira (4/2), o secretário admitiu, usando números, que a violência aumentou nos últimos dois meses no DF, mas argumentou afirmando que a insegurança é um problema nacional. “Um dos problemas que temos é a branda legislação em relação aos menores, porque eles cometem crimes bárbaros”, disse o secretário. “Um outro problema, que passa pela saúde pública, é o uso de entorpecentes”. O secretário admitiu, ainda, que a violência no DF cresceu nos últimos dois meses também por causa da operação tartaruga.

Avelar apresentou os últimos dados da violência no DF e disse que o grande problema da falta de segurança é a Legislação Federal.

O secretário garantiu que a segurança está sob controle e afirmou ainda que o DF teria saído do ranking nacional da violência.

O diretor da Polícia Civil também colocou a culpa na legislação e disse que, em relação aos últimos 20 anos, os índices de violência não aumentaram tanto assim.

— Sofremos com a legislação branda.

O senador Rodrigo Rolembergue (PSB) disse que a situação é preocupante.

Fonte: R7 / Correio Braziliense

 

Segue agora alguns trechos de políticos do DF sobre as situação e algumas ações tomadas por eles.

 

DEPUTADA DISTRITAL CELINA LEÃO 

Celina Leão fala da crise na segurança e chama comissão geral

A deputada Celina Leão (PDT) usou o primeiro comunicado de parlamentares da primeira sessão ordinária do ano para cobrar o envolvimento da Câmara Legislativa na solução da crise da segurança pública que se abateu sobre o Distrito Federal em decorrência da falta de diálogo do governo com os policiais e bombeiros militares.

A deputada lembrou que foi relatora de projetos do Executivo que reajustou salários e trouxe benefícios para cerca de 30 carreiras do serviço público. “Foram reajustes merecidos,mas como fica uma tropa que acompanhou tudo isso sem sequer ser ouvida pelo governo?” questionou. “Que a população não continue a pagar por esta falta de interlocução”, completou.

A parlamentar destacou que os policiais militares estão desmotivados e agora estão sendo criminalizados. Para Celina esta foi uma crise anunciada pela falta de gestão e posicionamento do governo. “Há três anos esta categoria vem fazendo manifestações e não recebe do GDF nenhuma posição, o governo fechou os olhos, ignorou o movimento e agora quer colocar a culpa na policia e jogar a população contra a tropa. Reagir com punições sem negociar é o mesmo que dar um tiro no pé”, lamentou.

COMISSÃO GERAL – A deputada propôs uma comissão geral para esta quinta-feira (6) às 15h no plenário da Câmara Legislativa e convidou todos os parlamentares para assinarem o requerimento com ela. “Esta Casa tem que se posicionar, temos que chamar o secretário, o governador e se for preciso vamos bater na porta do Governo Federal para buscar ajuda”, observou.

A Comissão Geral é uma prerrogativa parlamentar para debater grandes temas de interesse social com a sociedade civil organizada, o governo e a população com o objetivo de dar uma solução rápida e eficaz para os conflitos sociais.

IMPEACHMENT – “Quando esta casa se omite as coisas se agravam, protocolei em abril do ano passado um pedido de impeachment contra o governador por fraude eleitoral, na ocasião um colega disse que a peça iria para o lixo sem ser lida e tratava justamente das 13 promessas feitas pelo governador aos policiais e bombeiros militares e que desencadearam a operação tartaruga e a crise na segurança. Hoje posso falar que se ele ao invés de ter sido omisso tivesse respeitado meu trabalho e lido o documento talvez as coisas não tivessem chegado aonde chegaram”, ressaltou. 

Fonte: Facebook (https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1443450032555652&set=a.1397757070458282.1073741828.100006720073281&type=1&theater)

 

DEPUTADA DISTRITAL ELIANA PEDROSA

A deputada Eliana Pedrosa (PPS) sugeriu durante reunião da Mesa Diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal, nesta quinta-feira (30), que a Casa ajude na resolução da crise da segurança pública. A ideia é pedir ao governo a retomada imediata do diálogo com o movimento dos policiais militares e, ao mesmo tempo, pedir aos policiais o fim da Operação Tartaruga.

Na contramão dos anseios da sociedade por mais segurança, nesta quinta-feira governo decidiu fechar qualquer possibilidade de diálogo com os dirigentes das associações vinculadas à Operação Tartaruga. Em resposta, a maioria das 14 entidades da categoria anunciou a radicalização do movimento ao prometer diminuir ainda mais o ritmo no atendimento das ocorrências.

De acordo com a Eliana Pedrosa, a radicalização não é o caminho para a solução das demandas dos policiais e muito menos para que a população volte a se sentir segura. “O movimento dos policiais militares tenta negociar com o Poder Executivo desde o início de 2012. Temos os melhores profissionais da segurança pública do Brasil. O diálogo entre as duas partes precisa ser retomado imediatamente. A população não pode pagar a conta desta radicalização”, afirmou a parlamentar.

Fonte: Site oficial da Deputada Eliana Pedrosa

 

SENADOR RODRIGO ROLLEMBERG

De acordo com Rollemberg, o DF registrou 75 mortes por homicídio no último mês de janeiro. Ele sugeriu que a OAB-DF tente intermediar um acordo entre os policiais militares, que cobram melhores salários, e o governador Agnelo Queiroz (PT)
Em discurso no Plenário na noite desta segunda-feira (3), o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) lamentou os índices de violência de Brasília e voltou a criticar o governo do Distrito Federal. Segundo o senador, a situação do DF hoje é de “medo, pânico e tragédia social, como uma tragédia anunciada”, com um governo “omisso” e “sem autoridade”.
 
– O sentimento do brasiliense é de que os bandidos governam a cidade. Qualquer cidadão brasiliense hoje vive com medo. Se sair de casa, não sabe se voltará, por absoluta omissão do governador – acusou ele.
 
Segundo Rodrigo Rollemberg, o DF registrou 75 mortes por homicídio no último mês de janeiro. Ele sugeriu que a OAB-DF tente intermediar um acordo entre os policiais militares, que cobram melhores salários, e o governador Agnelo Queiroz (PT). O senador acrescentou que o efetivo da PMDF diminuiu, nos últimos anos, de 19 mil para 15 mil homens. O senador disse ainda que as cidades do DF estão “desamparadas pelo governo” e “amedrontadas com a violência”.
 
– Precisamos fazer uma grande reflexão sobre a segurança pública em Brasília e no Brasil – ponderou o parlamentar, que criticou o investimento de quase R$ 2 bilhões feito pelo governo local para construir um estádio para a Copa do Mundo, em detrimento de investimentos em segurança pública.
Fonte: Site oficial do senador Rodrigo Rollemberg
DEPUTADO FEDERAL IZALCI

Tucano pedirá impeachment de Agnelo

O deputado federal Izalci Lucas (PSDB-DF) informou que entrará hoje com um pedido de impeachment do governador Agnelo Queiroz na Câmara Legislativa do Distrito Federal. …

  De acordo com o parlamentar, “o pedido se sustenta com base na incapacidade de gestão do governador” diante da onda de violência no DF.

 O pedido do deputado precisa enfrentar um longo caminho na Casa. Primeiro, a Procuradoria Legislativa da Casa irá analisar a admissibilidade do requerimento, ou seja, se ele contém documentos e testemunhas que comprovem a denúncia. Em seguida, o pedido precisa passar por uma comissão especial e, finalmente, por votação no plenário, onde precisa obter o apoio de 16 dos 24 parlamentares.

Fonte: Blog do Edson Sombra

DEPUTADO DISTRITAL PATRÍCIO

O deputado petista que ex-representante da categoria aparece novamente

Pronunciamento do Patrício hoje mais cedo (04-02-2014) em relação à segurança pública. Preparamos a proposta de reestruturação durante os três últimos anos e foram envolvidos vários policiais e bombeiros militares do DF, além de sugestões nas redes sociais. Tive a honra de fazer parte da criação dessa proposta e agora basta o GDF encaminha-la ao Governo Federal para que, posteriormente, siga para o Congresso Nacional. Infelizmente as coisas nem sempre acontecem no “nosso” tempo, porém, o mais importante nesse momento é chegarmos a tão sonha da carreira que ( as praças) ainda não tem.

Fonte: Facebook (https://www.facebook.com/photo.php?v=803890999626524&set=vb.100000168958528&type=2&theater)

 

DEPUTADO DISTRITAL DR. MICHEL

No site do deputado há uma insinuação para que o mesmo, que é delegado da Polícia Civil do DF, seja o novo secretário de segurança pública do DF

Xerifão é a soluçãoCom a onda de violência que assustou Brasília neste começo de ano e a pressão de empresários e políticos querendo a cabeça do secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar (PMDB), um boato circulava, ontem (3), nos corredores da Câmara Legislativa. Para alguns, a solução para o problema seria a nomeação do deputadoDr. Michel (PP), conhecido como “Xerifão,” para a Secretaria de Segurança Pública do DF. Segundo a especulação, o ex-delegado faria uma “revolução” na forma de conduzir a Secretaria, dando um ‘susto’ nos criminosos e colocando os movimentos políticos, tanto da PM quanto da Polícia Civil, nos eixos. Contudo, o governo resiste a substituição de Avelar, que deve deixar a pasta apenas em abril, quando terá que se desincompatibilizar para ser candidato a deputado federal.

Dr. Michel é lembrado como “o nome” para a Segurança do DF

Por Tiago Monteiro Tavares / Foto: Roberval Eduão

Fonte: Site oficial do deputado Dr. Michel

 

OBS: Não achamos qualquer menção sobre os fatos relacionados a crise de segurança pública por parte de alguns deputados distritais do DF ligados à segurança pública. São eles: Aylton Gomes (CBMDF), Wellington Luiz (PCDF)  e Alírio Neto (PCDF).

A pesquisa foi feita no site de busca Google com ênfase nos fatos datados desta semana. 

Print Friendly